9 de mar de 2007

Cumprindo promessas...atendendo à pedidos...

Imaginem uma mulher à beira de um ataque de nervos, essa sou eu hoje!!!

Estou em casa desde às 14:30hs, aguardando o moço da TV a Cabo vir arrumar a imagem que está uma porcaria e tenho a certeza de que ele virá quando meu abençoado zelador tiver encerrado seu expediente, fazendo com que a visita tenha sido inútil e que eu fique mais um dia sem tv descente.

Estou de TPM, já devorei um brigadeiro e um Alfajor de chocolate, está um calor do cão e tenho vários pensamentos na minha cabeça... Ou seja, estou no limite para explodir!!!!

Então, numa tentativa terapêutica para me acalmar, e sabendo que não tem ninguém lendo mesmo... (esse blog anda às moscas...), vou tentar cumprir dois "pedidos/intimações" que recebi na última semana, um da Milady e outro do Jogando Conversa Fora...

Pedido N.º 1 - Momento Avassaladora Poulin...

A Avassaladora ADORA:

1. Fazer compras, muitas compras...
2. Sentar na beira do Lago Paranoá no final da tarde, ver o "mar" de Brasília e meditar sobre a vida;
3. Comer um prato cheio de brigadeiro na colher, sem enrrolar, vendo um filmão daqueles de chorar, enrrolada no edredom;
4. Momento mulherzinha no salão de beleza, sem pensar na conta depois (é claro!);
5. Um beijo bem molhado e com gostinho de cerveja;
6. Passar uma manhã que seria de trabalho em casa, arrumando as memórias guardadas;
7. Passar a tarde falando potoca com as amigas, sem os maridos, é claro!
8. Colinho da mamãe, não tem nada igual;
9. Abração do papai, que me trata até hoje como se eu fosse garotinha;
10. Dormir de conchinha em dia frio...

Pedido N.º 2 - Os 5 não-beijos (ou beijos) que mais marcaram... (esse vai ser difícil, porque pela minha falta de "experiências amorosas" na vida, não sei se tenho 5 episódios desses pra contar...)

1. Eu tinha 12, ele também, festinha na casa do vizinho, música lenta tocando na vitrola, o coração disparado. Ele era a minha paixão, loirinho e com um toque todo especial, todo carinhoso, mas não namorava comigo. Fomos para a varanda, de luzes apagadas, ele chega bem perto, eu fecho os olhos, me deixo levar pela deliciosa sensação de frio na barriga... Nossas bocas se encontram, é tudo muito devar, a música deixa de tocar só nos meus ouvidos, eu estou no céu. Quando volto a mim, a mãe dele está na porta do apartamento, viu tudo, e eu não sei onde esconder-me de vergonha.

2. Semana Santa, viagem meio surpresa, eu e a minha mãe numa cidade do interior sem nada pra fazer. O conheço na rua, ele é parte da turma de amigos da minha prima. Conversamos a tarde toda, e apesar dele não ser bonito, era o único exemplar com o qual se podia ter mais que 5 minutos de conversa inteligente. Na noite de sexta-feira, num momento de total falta de programa social melhor, fomos todos acompanhar à Procissão das beatas da Igreja... voltamos andando para casa, as ruas escuras são as testemunhas para mais algumas horas de conversa. No portão de casa, e sem que nenhum dos outros vissem, ele me rouba um beijo, daqueles no canto da boca, furtivo e bem retribuído... Voltei pra casa dois dias depois, não nos vimos mais.

3. Sábado à tarde, cinema com a galera da escola, sentamos todos na primeira fileira do cinema, ele ao meu lado, começa o filme, é Ghost. Ele pega a minha mão, começa a acariciá-la suavemente, fico feliz com sua aproximação. Sem muita cerimônia, ele me beija o pescoço e me diz ao pé do ouvido que quer um beijo. A música tema do filme e a cena mais conhecida dele começam a passar, delicadamente ele me abraça e nos beijamos até o filme terminar. Vou correndo pra casa, porque tinha ido ao cinema escondida da família, depois desses vieram muitos outros beijos, que povoam até hoje meu imaginário.

4. Estávamos em uma boate, com uma turma de amigos, eu muito animada, dançava sem parar, ele, bem mais introvertido, prefere ficar sentado olhando a pista de dança. Percebo seus olhares e vou chamá-lo para dançar. Ele hesita, diz que não, eu sento em seu colo, de costas para todos, fico a menos de 5 cm de sua boca, e sem dizer mais nada, dou-lhe um beijo molhado e volto para a pista.

5. Depois de uma tarde de muita conversa e muitos carinhos trocados, ele diz que vai embora, eu o acompanho até o carro. Ele abre a porta e senta no banco do motorista, liga o rádio e uma linda música preenche o momento. Ficamos conversando alguns segundos sobre amenidades, ele sentado, eu em pé ao lado da porta. Ele diz que realmente tem que ir, eu então, sem saber muito porque, sento em seu colo, e dou-lhe um beijo demorado. Fico abraçada alguns segundos e começo a rir, confesso que queria dar aquele beijo há algum tempo, ele diz que também, suspiro aliviada e deixo o carro partir.

Ufa!!! Consegui, e até relaxei... espero que vocês gostem...

Beijos e bom findi!!!!

Nenhum comentário:

  © Free Blogger Templates Blogger Theme II by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP