2 de mar de 2007

Avassaladora e o castelhano... um problema...

Bom, retornando às história da viagem...

Chegamos no hotel lá pelas 5 da tarde, o hotel era bom, nada de ultra-mega-power luxo, mas como dizem as bocas por aqui, honesto.

Tudo bem que não tinha cama de casal e tivemos que juntar as duas camas, tendo como problema para os próximos cinco dias um abajour no meio de nós... perdi a conta das vezes em que dei uma cabeçada no dito cujo.

Como já estava tarde, saimos para conhecer a Galeria Pacífico, que era na esquina do Hotel. Foi o primeiro momento de deslumbramento total... tantas lojas de grife, tantas coisas maravilhosas que me senti até uma aristocrata nesse momento!!!

Nesse dia também, os "machos-alfa" iniciaram sua busca pelo café perfeito, começando pela degustação de um capuccino italiano que conforme eles era muito aguado! Depois desses, foram 5 dias de inúmeros Pit-stops nos cafés da cidade...

O comércio de rua fecha às 9 da noite, portanto, nossa caminhadinha foi pouca, rumamos para o hotel e nos preparamos para o primeiro jantar da semana...

Pegar taxi em BA é uma aventura, e desde que eu fiz o desajuizado passeio de bug nas Dunas de Natal costumo classificar minhas "corridas" automotivas como COM EMOÇÃO e SEM EMOÇÃO. Em BA todas foram com muita emoção!!!

As faixas das pistas são meramente conceituais, em todas as corridas que fizemos lá, não houve uma só vez em que o carro não ficasse estratégicamente localizado entre duas pistas na maior parte do tempo. Além disso, você anda sempre se espremendo dentro do carro, tentando não ser atingido pelos carros em volta, já que as "finas" são constantes...

No nosso primeiro "passeio" pela cidade, pegamos um taxista apressadíssimo e um taxi caindo aos pedaços. Atravessamos uma boa parte da cidade e suas avenidas largas que muito lembram Brasília. A viagem me fez viver na realidade a cena daquela propaganda da KODAK, onde o taxista mostra todos os pontos turisticos de Roma numa velocidade impressionante...

Tivemos um passeio e tanto, o único problema foi o castelhano, porque nosso guia não era rápido só na direção, ele metralhava palavras emboladas a todo momento, fato esse que nos fez entender a "Prostituición ou Zona Roja" como "Constituição Roxa"...

Para complicar ainda mais os entendimentos da lingua local, fomos jantar num restaurante chamado Campo Bravo, um restaurante muito legal, cheio de gente jovem, mas com uma música ambiente um tanto quanto alta. Daí, para não entender o quê eram as "Parrilladas", as "Papas" e os nomes dos vinhos foi um pulo!!! No fim, depois de tanto tentar e tentar com a garçonete bem humorada e com o garçonzinho lindo "Pod's crê", deu tudo certo... e até conseguimos jantar direito!!!! Foi a primeira noite de bebidas.... hahahaha... nesta regada à vinho para os rapazes e o "abençoado líquido" (espumante) , como diz minha chefe, para as meninas...

Bom, depois conto mais!!!!

Beijos,

3 comentários:

leiloca disse...

Viajar é muito bom.
Viajar bem acompanhado é melhor ainda.
Que bom que vc aproveitou sua viagem.
Beijos

Carol disse...

Em camas separadas? Putz.

Kristal disse...

Eu ADORO a Argentina !
A cidade de Buenos Aires é maravilhosa, tem lojas bárbaras, os homens são lindos e quase não se vêem pobres, não é ?

  © Free Blogger Templates Blogger Theme II by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP