1 de mar de 2011

A excluída (ou seria a Rejeitada?)

Todo mundo me pergunta como está a reação do Guilherme em relação à Cecília e minha resposta padrão até hoje tem sido sempre a mesma: ele tem muito carinho com a irmãzinha, dá muitos beijos e faz muito carinho. Adora estar com ela e não tem nenhuma reação "adversa" em momento nenhum. Conosco é que a coisa ficou um pouco mais complicada, uma vez que ele começou a desobedecer mais, fazer mais birra e ser mais chorão. Mas achamos que,além do ciúme pela chegada da irmã, também existe o comportamento da idade (os falados "terrible twos").

Mas há algumas semanas eu venho notando um comportamento que tem me deixado bem chateada. Sei que não é culpa dele, que ele é a principal vítima, mas não posso dizer que não dói.

Desde que a Cecília nasceu, o pai ficou muito mais encarregado das tarefas do Gui, porque na maioria do tempo estou amamentando (e como a Ciça mama!), com isso, um laço que já era forte ficou fortíssimo e eu, eu fui colocada para escanteio...

Tudo hoje em dia é o papai, vai comer, tem que ser o papai, vai tomar banho, é com o papai, vai brincar, é com o papai. A mamãe só serve quando o papai não está e mesmo assim, tem que ouvir horas a fio as afirmações do pequeno de que "quer o papai"!

Até ai, tudo bem, é tudo normal, porém, na semana passada, quando ele se machucou, só chamou e aceitou o papai. Dai que meu coração começou a doer, porque a gente (eu pelo menos) sempre acha que na hora do aperto só serve a mamãe, e é nessa hora que nossa veia animal (leoa, mesmo) aparece com maior furor. Pegar a cria no colo e proteger das mazelas do mundo, como se ele ainda estivesse dentro de nós, é tudo que sabemos fazer.

Imaginem o meu desespero, vendo meu pequeno machucado, e essa semana doente (com acessos de tosse) e não aceitando nem mesmo que eu chegasse perto... Doeu, doeu muito!

Eu nem ia escrever isso aqui, porque sei que é uma fase e que tudo isso vai passar, mas essa coisa tá me sufocando e como conversar com o marido não adiantou (porque ele acha que é drama meu), precisava de algum lugar pra desabafar...

Só espero que tudo isso passe logo, porque essa parte do contrato (as letras pequenininhas) de mãe eu não estava/estou preparada pra enfrentar! Ainda bem que ainda tenho a Ciça que me vê como peça insubstituível de sua pequena rotina.

9 comentários:

Bia Mello disse...

Oh, querida. Imagino que deve ser uma fase bem dura pra nós, mamaes. Nao passei por nada parecido, pois so tenho o Victor por enquanto. Mas minha cunhada tambem está sofrendo horrores, pois desde que meu sobrinho nasceu(fez 5 meses ontem) a filhinha dela de 3 anos passou a deixa-la meio de lado. Mas esta semana ela já voltou a pedir o colinho da mãe e ajuda pra fazer lição de casa...rendeu até choro de alegria da parte da mae! :)
Fique calma, tudo voltara ao normal em breve, viu?
Beijinhos e força!

Mari disse...

Ai, essas punhaladas no nosso peito... sei bem, viu?
Imagino que seja normalíssimo nessa situação de bebê novo em casa. Ele percebeu que a sua ligação com a Cecília é muito forte - e insubtituível - nesse começo, então se vincular a outra pessoa é quase uma defesa, né? Eu cansei de ser expulsa pela Alice nos últimos meses, tipo ela tentar me empurrar pra fora do sofá porque eu não podia sentar do lado dela...
Essa fase passa, vc vai ver!
Beijo!

Lia disse...

Nossa, que difícil, hem? Não tenho conselhos pra dar, apenas minha solidariedade e o desejo de que o chamego volte logo...

Priscila disse...

Nossa q situação! Imagino o seu coração...o meu ficaria em pedacinhos miL!! Mas isso passa sim com certeza!! bjksss

Paloma, a mãe disse...

Ô, menina, dói mesmo, eu bem sei. Mas esta rejeição (que eu também sofri e sofro por aqui) é uma forma de eles dizerem que sentem a nossa falta. Um jeito meio torto, eu sei, mas eles ainda não conseguem expressar os sentimentos com todas as letras.
Beijos

Lu Olhosde Mar disse...

e tem gente q acha q ser mãe é fácil. ser mãe é... f..ogo! rs.
fasese, querida... este loirinho é apaixonado por vc, mas nao é bobo. ele sabe q agora tem, de dividir vc ne?? :) entao.. tenha paciencia, se faça de desentendida q ele volta... volta sim.... bjao,querida!

Giovanna Cresceu!!! disse...

Poxa, Flávia, imagino como vc está se sentindo. Acho que essa é uma forma do Gui mostrar que sente sua falta, que percebeu as mudanças que foram causadas com a chegada da irmãzinha. Com certeza é uma fase e vai passar.
Bjs.

IVANA disse...

Querida Flávia,

Difícil essa fase, heim?
Vou falar um pouco da minha experiência. O Davi, desde bebê, mesmo quando (só)mamava, sempre foi muito mais apegado ao pai. Era visível, todo mundo notava. Eu ficava super triste, me sentindo uma péssima mãe, por vezes constrangida. Meu marido não é só pai, também não é mãe, ele é, na verdade, uma pata choca. Difícil competir com ele, viu? Até porque eu, desde sempre, precisei fazer o trabalho sujo: impor rotina, contrariar, obrigar a certas coisas, etc, etc. Ele se recusa a estressar o Davi, seja de que forma for.
Mas pra surpresa minha, de uns tempos pra cá, meu filho me descobriu. Só aceita fazer certas coisas se for comigo, me enche de carinho, diz que me ama de forma espontânea, me abraça e me beija sem que eu peça, diz que vai cuidar de mim. E eu não mudei um milímetro o meu comportamento com ele. Ele tem os momentos dele com o pai, claro. E já sabe que o pai é pra brincar, e a mamãe é pra todo o resto. Também temos as nossa próprias brincadeiras, que sempre envolvem muito contato físico.
Então, minha querida, saiba que isso é só uma fase. Daqui a pouco, ele "volta" pra você. Afinal, vc é a mãe e como tal, insubstituível, por melhor que seja o pai.

bjs pra vcs

Ivana e Davi (se recuperando de uma virose braba)

Nana disse...

É a primeira vez q vejo uma mae sofrer pela independência do filho...rsrsrs...mas é uma fase e vai passar...fique tranquila! Novo blog, novo post...confira! Bjs e fik c Deus.

  © Free Blogger Templates Blogger Theme II by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP